Antioxidantes para combater os radicais livres e proteger contra o câncer.

antioxidantes

Todo oxigênio que inalamos entra em nosso organismo, penetra nos pulmões e chega no interior das células através do sangue ajudando nossas células a “respirarem” e produzirem energia. Depois disso, aproximadamente 2% do oxigênio acabam se transformando em substâncias ruins para o organismo, conhecidas como radicais livres.  Elas podem intoxicar nossas células, atacando suas membranas causando um estrago semelhante a “ferrugem” nas células, prejudicando o funcionamento delas.

Porém, dentro das nossas células temos a capacidade de produzir um antídoto para anular os efeitos dos radicais livres. Essa defesa é chamada de enzima antioxidante. Mas, a matéria prima que nossas células necessitam para a produção destas enzimas protetoras são alguns nutrientes específicos, sendo eles: vitamina C, vitamina E, selênio, manganês, cobre, zinco, riboflavina, betacaroteno, compostos bioativos (polifenóis, flavonóides, carotenóides, glicosinolatos) e outros menos importantes. O que pode ocorrer se houver um desequilíbrio entre a produção exagerada de radicais livres e uma produção menor de enzimas antioxidantes?

A preocupação com esta possibilidade é tão grande que surgiu uma área de estudo específica para compreender melhor este tema, chamada de Oxidologia, que estuda as causas e os efeitos da “oxidação” excessiva das nossas células (tecnicamente conhecido como stress oxidativo) e suas repercussões na saúde humana. As conclusões foram essas:

  • Aceleração do envelhecimento celular.
  • Ataque ao DNA das células levando ao risco aumentado de câncer.
  • Oxidação excessiva do colesterol, que, quando oxidado, aumenta a chance de entupir nossos vasos sanguíneos e aumentar a incidência de doenças cardiovasculares como infarto agudo do miocárdio e derrames cerebrais.
  • Degeneração de uma região do globo ocular chamada de mácula, aumentando o risco de perda da visão progressiva, mais comum em idosos (Degeneração Macular).
  • Oxidação excessiva dos neurônios podendo aumentar o risco de doenças degenerativas cerebrais como Alzheimer e Parkinson.

Outro problema é que não é só o oxigênio que entra nas nossas células que leva a produção dos radicais livres. Outros fatores também podem elevar a produção dos mesmos, de maneira secundária: irradiações ionizantes, infecções, diabetes descompensado, Síndrome Metabólica, intoxicações por metais tóxicos (chumbo, alumínio, mercúrio, arsênico, cádmio, etc), agrotóxicos, tabagismo, excesso de atividade física, alimentação excessiva em gorduras (inclusive a trans) e açucares simples.

A MELHOR MANEIRA DE MANTER A SAÚDE EM DIA É DETECTAR OS PROBLEMAS ANTES DELES SE COMPLICAREM. REALIZE SEUS EXAMES LABORATORIAIS AQUI NO IBABC. 
www.ibabc.com.br

Agora, se você se expõe a tantos fatores que levam ao aumento dos radicais livres no seu organismo, como deve se defender desses estragos? Simples, aumente a oferta de matéria prima para a proteção das suas células com uma alimentação melhor. Veja como é fácil.

  • Vitamina C: laranja, limão, tangerina, acerola, goiaba, kiwi, camu-camu.
  • Vitamina E: óleos vegetais (azeite extra virgem, canola, linhaça, entre outros), gérmen de trigo, abacate, óleos de peixe, gema de ovo.
  • Selênio: oleaginosas (castanhas, amêndoas, avelãs, amendoins), peixes como salmão.
  • Manganês: cereais integrais, legumes, castanhas.
  • Zinco: carnes magras, aves e peixes, ostras, iogurtes desnatados, cereais integrais, germe de trigo.
  • Cobre: nozes, frutas secas, cereais, leguminosas (ervilha, soja, grão-de-bico, feijões, lentilhas)
  • Betacarotenos: cenoura, tomate, manga, abóbora, gema de ovo.
  • Compostos bioativos: alface, agrião, rúcula, couve, espinafre, berinjela, mirtilo, uva rôxa, cenoura, tomate, cúrcuma, chá verde, brócolis, alho, alho-poró, cebola, cogumelos comestíveis, maçã (com casca), pó de cacau, acelga, beterraba, salsinha, pimentão vermelho, couve-flor, entre outros.

Agora, um alerta: doses muito altas de antioxidantes podem sair pela culatra. Elas se tornam pró-oxidantes , aumentando o desenvolvimento dos radicais livres. Então, tome cuidado, faça uma atividade física leve ou moderada regularmente e visite seu médico periodicamente para avaliar a sua saúde e fazer exames de rotina. 

Fonte: Minha Vida

ACESSE NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s