O HPV é uma ameaça cada vez mais alarmante.

HPValarmante

A infecção pelo papilomavírus humano (HPV) é a principal doença viral transmitida pelo sexo. E ele está envolvido em praticamente todos os casos de câncer do colo do útero. São centenas de tipos de HPV. Algumas versões, que não necessariamente são pegas entre lençóis, causam simples verrugas na palma das mãos. Outras levam a uma lesão precursora de câncer na região genital – e são essas as mais preocupantes.

Quando esse vírus se instala em nossas células, pode permanecer incubado por um ano. É bem verdade que contraí-lo não é a certeza de complicação: em muitos casos, a infecção regride sem que a mulher apresente algum sintoma. Mas, como não dá para saber quem são as sortudas, para que arriscar?

Algumas medidas são indispensáveis para fugir da cilada: evitar ter vários parceiros e usar camisinha. Ela só não garante 100% de proteção porque não cobre toda a superfície de contágio. Para os especialistas, a arma mais eficiente contra o HPV é a vacinação, hoje recomendada para meninas e jovens entre 9 e 26 anos. São três doses e o ideal seria que elas fossem tomadas antes mesmo da iniciação sexual, quando ainda não houve contato com o vírus.

NO INSTITUTO DE BIOMEDICINA DO ABC SEUS EXAMES SÃO REALIZADOS POR UMA EQUIPE ESPECIALIZADA E COM TECNOLOGIA DE PONTA. 
www.ibabc.com.br

Exames que detectam o HPV

Papanicolau

Com uma espátula, o médico colhe material do colo do útero e coloca em uma lâmina. Aí, é feita uma análise em microscópio. Não dá para identificar o vírus, mas é possível verificar se há alterações nas células.

Colposcopia

O colposcópio é um aparelho capaz de ampliar 20 vezes a imagem da vagina, da vulva, do colo do útero e do ânus. Para flagrar lesões, um líquido reagente é pincelado na mucosa. No caso dos homens, o exame correspondente é a peniscopia.

Biópsia

Quando os métodos anteriores acusam alguma alteração, retira-se uma pequena amostra do tecido suspeito. Mais uma vez, ela será analisada em microscópio.

Captura híbrida

O material do colo do útero é coletado com o auxílio de uma pequena escova, que, depois, é mergulhada em um líquido desenvolvido para conservar as células. Essa técnica acusa a presença do HPV mesmo se não houver sintomas e determina se o micro-organismo é de alto ou de baixo risco.

Fonte: Revista Saúde é vital/Abril

LEIA TAMBÉM

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s